SEIS PONTOS QUE PODEM AJUDAR A REDUZIR PASSIVOS TRABALHISTAS

A Gestão Ocupacional possui um caráter muito estratégico dentro das empresas. A longo prazo, uma gestão de Saúde e Segurança do Trabalho (SST) eficaz pode contribuir para amenizar impactos na Folha de Pagamento. Mais do que isso, ao promover a política de SST, a empresa ganha com produtividade, aumentando a competitividade da organização.

De uma forma geral, um dos focos das empresas é diminuir gastos e potencializar os resultados da equipe. Pensando nisso, unir áreas ou departamentos, como Jurídico, Recursos Humanos, Medicina e Segurança do Trabalho, Financeiro e a cúpula estratégica da organização pode reduzir passivos trabalhistas. Veja seis pontos importantes para reduzir o problema:

RH Capacitado: Instruir a equipe de Recursos Humanos (RH) sobre os riscos de periculosidade, insalubridade e doença ocupacional mais comuns no ramo de atuação da empresa. Além disso, é preciso considerar o descompasso entre o que diz a legislação de SST e a sua aplicação por parte das autoridades.

Diálogo: É essencial manter a comunicação entre todas as áreas, evitando ruídos na troca de informações. Em especial, o RH e o Jurídico, que podem definir um plano de ação para reduzir riscos de diversos passivos trabalhista na empresa.

Profissionais Especializados: Dependendo do tamanho da empresa, é obrigatório estabelecer uma equipe de Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT). Portanto, contratar profissionais com esse perfil e que já tenham habilidades de gestão do sistema de medicina e segurança do trabalho da companhia poderá potencializar os resultados da área.

Documentação: O RH deve ser o responsável pela guarda, controle, organização e rápido acesso à documentação dos funcionários. Como é o caso da Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT), Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP), entrega de EPI entre outros. Esses arquivos salvaguardam a empresa em caso de ações trabalhistas e a ausência de um deles pode significar a perda de uma ação e, portanto, um custo para a empresa.

Hierarquia: A partir da análise hierárquica de cada departamento, o RH deve estar capacitado para analisar que cada cargo corresponda aos riscos específicos de insalubridade, periculosidade e doença ocupacional. A reorganização oferece mais controle à gestão do passivo trabalhista na empresa, amenizando riscos.

Cultura de Prevenção: Por fim, é muito importante disseminar uma cultura sólida de SST, sempre em parceria com a área de Medicina e Segurança do Trabalho. A partir de ações em conjunto e parceria entre as áreas e departamentos, é possível promover a Política de SST que resulta em um melhor ambiente e condições de trabalho.

Fonte: ASONET